quarta-feira, 17 de maio de 2017

O COLAPSO DO GOLPE


TEMER E AÉCIO SE APERTAM NO ABRAÇO DE AFOGADOS.

Somente um curto-circuito generalizado no bloco golpista abriria espaço para ofensiva das esquerdas. E esse curto-circuito apocalíptico está em curso e aumentando hora a hora.

A delação dos donos da JBS vazada diretamente para a rede Globo na noite de 17/05/17, novamente, além de enterrar de uma vez o moribundo governo Temer, que vai resistir o quanto puder, como qualquer máfia, revelou a face sombria do golpe.

Numa linguagem direta e sem meias palavras, Aécio Neves, sustentáculo do golpe, encomenda o assassinato do próprio primo, que ao dar com a língua nos dentes, caso preso, o que efetivamente ocorreu, exporá seus crimes e sepultará sua vida política de uma vez por todas.

O portal Brasil 247 informa:

"Gravações feitas pelos donos da JBS Friboi revelam pedido de propina de R$ 2 milhões por parte de Aécio Neves; o mais estarrecedor do áudio, no entanto, é a sugestão do presidente do PSDB para matar o recebedor da propina antes que haja uma delação; "Tem que ser um que a gente mate antes de fazer delação", disse o tucano; depois, Aécio diz: "Vai ser o Fred, com um cara seu [Joesley]. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho"; Fred, a quem Aécio se refere, é Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador e ex-diretor da Cemig, que acabou recebendo o dinheiro, em uma cena filmada pela Polícia Federal"

As manifestações deste fim de semana pelo país jogaram papel importante na mobilização do Ocupa Brasília do próximo dia 24/05/27, que exigirá a saída de Temer e a convocação de eleições diretas já.

Acompanhe a análise de primeira mão do jornalista Antônio Martins, do portal Outras Palavras:


Grato pela leitura.
Meus artigos são escritos entre pilhas de provas e trabalhos de meus alunos.  

Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.

http://www.lojanovaalexandria.com.br/catalogsearch/result/?q=era+uma+vez+no+meu+bairro

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Hei, Globo! Vai... ver se eu tô na esquina!

Não precisamos nem da Globo nem  de nenhuma das emissoras ou dos jornais desse punhado de famílias prepotentes que escravizam a mente dos brasileiros. Este modesto blog Amplexos do JeosaFÁ, de um também modesto professor, que também escreve entre pilhas de provas e trabalhos de alunos, ultrapassou a jato hoje à noite a barreira de 3.000.000 de acessos, dois dos quais nos últimos doze meses, com postagens contra o golpe de Estado e seu principal instrumento, o pretenso juiz Sérgio Moro.

Enfrentar a guerra midiática de que Hugo Chaves falou é tarefa dos revolucionários deste início de século XXI. 

Passeata contra o golpe no início de 2014.


Grato pela leitura.
Meus artigos são escritos entre pilhas de provas e trabalhos de meus alunos.  

Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.

http://www.lojanovaalexandria.com.br/catalogsearch/result/?q=era+uma+vez+no+meu+bairro

GLOBO DEVE DEMITIR SÉRGIO MORO NAS PRÓXIMAS HORAS POR TER BROCHADO PELA 3a. VEZ

Pela terceira vez consecutiva o deputado federal do PSDB no judiciário de Curitiba Sérgio Moro fracassa em prender Lula. Fontes afirmam que o departamento de teledramaturgia da rede Globo, descontente com o desempenho do ator na novela da Lava Jato, já estuda um nome para substituí-lo na função de pato amarelo caçador de sapo barbudo.

A rede Globo deu chances de sobra para que seu galã da novela Lava Jato ]Sérgio Moro desempenhasse com algum efeito midiático seu papel de mocinho em novela de 5a. categoria. Porém o ator fallho miseravelmente nas três oportunidades que os irmão Marinho lhe proporcionaram.

Na primeira, em 4 de março de 2016, uma sexta feira, além do grupo especial da Polícia Federal, fantasiado de tropa de invasão do Iraque, até jatinho especialmente preparado havia no aeroporto de Congonhas para levar o ex-presidente Lula algemado para Curitiba. Porém, três ou quatro centenas de militantes e mais, segundo consta, setores da Aeronáutica, estragaram a performance do Durango Kid de Maringá city.

Na segunda, 3 de maio passado (2017) o próprio Durango Kid errou na data da prisão, pois a agendou para depois de uma Greve Geral, seguida de um 1o. de Maio cheio de protestos pelo país - o que o colocava numa posição tipo aquela em aque Napoleção pedeu a guerra. Nesse caso, ele mesmo reconheceu o fracasso antecipado, disconversou e empurrou a data mais para frente, tentando rechear a pisada no tomate com duas delações podres (Léo Pinheiro e Renato Duque), que foram enterradas tão logo divulgadas pela rede Globo, pois fediam a carniça e saíram pela culatra.

No dia de ontem, a terceira tentativa já no avançado da hora, Moro não podia falhar: tinha que dar voz de prisão a Lula, senão... Porém o juizeco brochou pela terceira vez, o que causou um curto-circuito na novela da Lava Jato, principal atração da empresa afundada em dívida da família Marinho. 

Do depoimento em que Lula deveria sair algemado para servir de matéria exclusiva para o Jornal Nacional, o líder operário saiu para a consagração popular de uma República de Curitiba tomada de populares vindos de todos os estados do país para impedir sua prisão arbitrária, cantada em verso e prosa por William Bonner.

Como perdeu a deixa, a cúpula da rede Globo já avalia que o juizeco de Curitiba não tem mais qualquer serventia e ainda onera sobremaneira sua folha de pagamento. Com isso, a Lava Jato contribui para o aumento do desemprego, porque a partir de agora Sérgio Moro passará a ser apenas um funcionário público (embora regiamente remunearado), deixando vago o cargo de caçador de sapo barbudo (que a rede Globo terá muita dificuldade para preencher no judiciário em curto prazdo, pois um capacho como Moro não se forma da noite para o dia).

Grato pela leitura.
Meus artigos são escritos entre pilhas de provas e trabalhos de meus alunos.  

Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.

http://www.lojanovaalexandria.com.br/catalogsearch/result/?q=era+uma+vez+no+meu+bairro