quarta-feira, 24 de maio de 2017

VOCÊ NÃO FOI ENGANADO POR NINGUÉM. ESSE CRIME AÉCIO NÃO COMETEU


Você não foi enganado por ninguém. Você realmente e do fundo do seu fígado desejou o linchamento de petistas e comunistas, mas também de homossexuais, de negros, de pessoas em situação de rua, de jovens infratores, de índios e de corruptos, desde que não fossem do seu partido e do seu gosto.

Ninguém enganou você, nem você se enganou. Você quis mesmo a volta da ditadura militar, da tortura, da censura, da pena de morte, o fim das eleições - e por conseguinte da democracia, não obstante elegendo os piores corruptos para o atual Congresso Nacional.

Você quis sim, e festejou, a derrubada por meio de um golpe, de um governo eleito por voto direto. Você riu, sim, do adesivo infame da presidenta Dilma de pernas abertas na entrada de um tanque de combustível, riu também do apelido dado por Moro a Lula, Nine, por causa de sua deficiência física em uma das mãos.

Aécio não enganou você, nem você se enganou com Aécio. O que ele era todos sabíamos, e o que você lamenta agora não é o roubo bilionário que ele promoveu - e você sabia disso, sim. Você se lamenta de ter sido flagrado com ele, você lamenta que seu Facebook esteja cheio de fotos e mensagens de apoio a ele.

Resumindo, você diz que foi enganado, mas na verdade quer apenas fugir do flagrante, só isso. Até porque você continua apoiando linchamentos morais e físicos de petistas e comunistas mas também de homossexuais, negros, pessoas em situação de rua, jovens infratores, índios - e corruptos que não sejam do seu time. Você continua do fundo do seu fígado desejando a volta da ditadura militar, da tortura, da censura, da pena de morte, o fim das eleições e da democracia.

Você não mudou nem se arrependeu do que fez, está apenas terceirizando para o Aécio a parte grande da culpa que lhe cabe. Não, ninguém enganou você: você é que nos quer enganar agora.

Grato pela leitura.
Meus artigos são escritos entre pilhas de provas e trabalhos de meus alunos.  


Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.


Um comentário: