terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

STF: A FOSSA DA DEMOCRACIA BRASILEIRA

O salvo-conduto dado pelo ministro Celso de Mello do STF (agora ainda mais degradado com o dejeto político Alexandre de Moraes) para o corrupto Moreira Franco continuar roubando o Brasil a partir do governo Temer, com foro privilegiado, é milionésima confissão do STF  de que esse órgão é a cloaca magna em que nossa democracia vai sucumbindo.

Porém o Ministério Público Federal, comandado pelo amigo "secreto" de Aécio Neves, Rodrigo Janot, não deixa por menos. Na semana que se encerra neste 4 de fevereiro, depois protelar mais de década a a denúncia contra o "Mineirinho", Janot mandou arquivar por prescrição um dos processos mais escandalosos envolvendo Aécio: o da Transpretro de 1998. Segundo o insuspeito O Globo, a denúncia prescreveu antes de sequer ser investigada: A denúncia envolve dois políticos do PSDB: o atual presidente do partido, senador Aécio Neves (PSDB-MG); e Teotônio Vilela Filho, que era presidente da legenda na época.

Para os inocentes demais que ainda nutrem alguma esperança de que a justiça prevaleça neste país a partir do poder Judiciário, representado por seu órgão máximo, a decisão do ministro Celso de Mello, a coroação de Alexandre de Moraes e a impostura de Rodrigo Janot são efetivas e simbólicas demais para serem ignoradas.

Com esses episódios, os envolvidos assumem publicamente que todo o Judiciário em nível federal, cuja instituição máxima é o STF, é  agora sócio majoritário da fossa política, jurídica, ética e moral em que o Brasil vai naufragando.

Para consolidar o golpe de Estado, não há jardim de flores, estradas de pétalas de rosas ou arco-íris: há mais dejetos, carniça e verminoses pela frente. Quem não tiver estômago, que se prepare: a coisa vai piorar muito antes de, quem sabe, começar a melhorar.

Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário