terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Renan volta a chantagear o poder Judiciário

Em represália à ação do STF que o tornou réu por desvio de dinheiro público, Renan Calheiros, presidente do Senado, retoma ofensiva nesta terça-feira (13/12/16) para aprovar em tempo recorde o projeto contra o abuso de autoridade que tramita na casa.

Não que isso signifique que ele esteja preocupado com os flagrantes abusos cometidos por autoridades em si, nos quais ele mesmo também se esbalda, mas porque uma vez convertido em lei, esse dispositivo torna-se uma arma de grosso calibre em sua própria defesa contra Rodrigo Janot, Ministério Público Federal e o próprio STF.

Renan deve muito à justiça, e por isso teme que as ações contra ele ganhem um impulso tal que lhe escapem das mãos os mecanismos com os quais vem se esquivando da lei há muito tempo. Com sua saída da presidência do Senado neste final de ano, quando se encerra o mandato para o qual foi eleito, ele perde muito de seu poder na casa e, uma vez enfraquecido, torna-se alvo fácil para o Ministério Público Federal a Suprema Corte.

Sua pressa em aprovar esse projeto está, assim, ligada a uma contingência: a lei precisa ser aprovada na casa antes que ele saia da presidência, caso contrário, cairá na mesma teia de aranha que apanhou seu colega de partido e provavelmente de cela, Eduardo Cunha.

Assim, embora o projeto seja oportuno, pois inibe o abuso de autoridade, nesse momento ele será manipulado por Renan Calheiros para um só fim: livrar a própria pele. Para tanto, ele conta com o apoio de outros senadores também alvos das delações da Lava Jato.



Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo na gestão José Serra. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para o a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.








Nenhum comentário:

Postar um comentário