quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

MILITÂNCIA DÁ ORGULHO, LIDERANÇAS DÃO VERGONHA

Enquanto militantes trabalhadores se esforçam para restaurar as bandeiras e a imagem de uma esquerda destruída por um golpe, mas também por seus próprios e graves equívocos, lideranças afogadas na lógica do dinheiro se enterram mais fundo (e a estrela) na lama.


Num momento em que se espera uma atitude corajosa do PT, maior partido da esquerda brasileira, no sentido de injetar ânimo nas bases para seguir a difícil luta contra o golpe, o que os vereadores da legenda oferecem de presente de Natal para os paulistanos é o aumento de seus próprios salários.

A pequenez dessa atitude é tão enojante que me vi obrigado a substituir a crônica de hoje por este registro. Confesso que vai ficando cada vez mais difícil defender um PT e uma esquerda refém do dinheiro fácil.


Jeosafá, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para o a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.









Nenhum comentário:

Postar um comentário