sexta-feira, 28 de novembro de 2014

HÁ exatos 50 anos, Malcolm X previu revoltas nos EUA

Protesto em Ferguson, novembro de 2014.
Imaginem o que pode acontecer quando esses guetos amargurados e revoltados por toda a América tiverem o incidente de ignição certo, ficarem realmente inflamados e explodirem além de suas fronteiras, para a áreas em que os brancos vivem! Imaginem o que pode acontecer na cidade de Nova York se os pretos enfurecidos deixarem o Harlem, atravessando o Central Park.
(Malcolm X, 1964)

Entreguei há quinze dias à Editora Nova Alexandria o original de O jovem Malcolm X, romance-biografia cuja conclusão me ocupou este ano de 2014.

Assistir a vídeos de suas entrevistas e discursos, ler e reler páginas e mais páginas sobre o que se escreveu sobre ele e o que ele escreveu sobre si mesmo em sua Autobiografia foi uma banho de história - e está sendo ainda, pois embora tenha concluído o original, continuo ainda mergulhado em parte do material que não empreguei no texto.

Tenho acompanhado o noticiário sobre a revolta nos EUA, a partir dos acontecimentos de Ferguson. Como informa o jornalista Altamiro Borges:


Em sua Autobiografia, Malcolm X tratou dessa explosão de violência, já vivida no Harlem no que ele chamou de "o longo e quente verão de 1964":

Fiquei assustado quando compreendi pela primeira vez o perigo representado por esses adolescentes do gueto, se alguma centelha os levar à violência. [...] O longo e quente verão de 1964, no Harlem, Rochester e outras cidades, deu uma ideia do que pode acontecer... e não passou disso. foi apenas uma ideia pálida. Pois todos os distúrbios ficaram restritos aos lugares em que os negros vivam. Imaginem o que pode acontecer quando esses guetos amargurados e revoltados por toda a América tiverem o incidente de ignição certo, ficarem realmente inflamados e explodirem além de suas fronteiras, para a áreas em que os brancos vivem! Imaginem o que pode acontecer na cidade de Nova York se os pretos enfurecidos deixarem o Harlem, atravessando o Central Park. Ou pensem no South Side de Chicago, um gueto mais antigo e ainda pior, imaginando os negros de lá a se espalharem pelo Centro. Pensem nos negros revoltados de Washington avançando pela Pennsylvania Avenue. Detroit já testemunhou uma concentração pacífica de mais de 100 mil pretos... pensem nisso. Podem falar em qualquer cidade. Existe uma dinamite social preta em Cleveland, Filadélfia, San Francisco, Los Angeles... a raiva do homem preto está presente em toda parte, fermentando.

Nascido em 1925 Malcolm X (originalmente registrado Malcolm Little; Omaha19 de maio de 1925 — Nova Iorque21 de fevereiro de 1965),  faria 90 anos em maio de 2015, ano que, em fevereiro, completam-se 50 anos de seu assassinato. Para compreender os acontecimentos de Ferguson, retomar o que ele escreveu em sua Autobiobrafia é essencial.



Nenhum comentário:

Postar um comentário