sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O amor remove prédios, que voltam

Foto: Júlio Boaro

Não precisa de muita criatividade para gostar de São Paulo, em que pese as razões que a cidade dá de sobra para a odiarmos. Se pensamos nas pessoas que amamos e que circulam por seus labirintos em que tanta gente se perde e se acha, ela tem sua poesia revelada. Se faltar imaginação, é só ir à noite à janela de um dos arranha-céus e ficar cismando... e piscando longamente enquanto a memória trabalha relaxada.
Cíbio Bote



Nenhum comentário:

Postar um comentário