segunda-feira, 12 de abril de 2010

Toda Mafalda, de Quino



Trad. Andréa Stahel e outos

Toda Mafalda traz, em uma excelente edição de capa dura, toda a produção do importante cartunista Quino (Joaquín Salvador Lavado, nascido em 17 de julho de 1932, na província de Mendoza, Argentina). Uma breve resenha introdutória apresenta a famosa personagem, e uma pequena cronologia versa sobre o artista.

Mafalda, uma simpática, crítica e esperta menina preocupada com os problemas da humanidade, foi criada em 1962. Na oportunidade, ela deveria fazer o papel de “garota propaganda” de anúncio a ser veiculado no jornal Clarín. Mas não deu certo, e a personagem só nasceu para seu público mesmo em 1964, no jornal Primeira Plana, aqui já na forma de cartum.

Outros personagens da tira foram aparecendo logo em seguida, e não tardou para que a HQ fosse publicada também em outros jornais argentinos e, depois, de outros países – inclusive no Brasil, em plena ditadura militar.

Mafalda, ao ganhar o coração dos leitores latino-americanos, saltou para Estados Unidos e Europa, ganhando o mundo. Em 1973, O cartunista decidiu encerrar a série, participando apenas eventualmente em publicações humanitárias, em particular relacionadas à UNICEF.

Nessa surpreendente HQ, que mescla política, socidade e filosofica, o humor e a ironia estão presentes, tanto no texto dos balões, quanto nas expressões das personagens, sempre a dirigirem suas críticas e ironias ao público adulto, a quem, em tese, caberia cuidar melhor dos destinos dos semelhantes e do planeta.

Tanto as temáticas destacadas quanto a articulação entre texto verbal e texto gráfico permitem amplo raio de ação pedagógica dos professores de Língua Portuguesa, História e Arte, e ainda de Filosofia e Sociologia.

FONTE: Quino. Toda Mafalda. Trad. Andréa Stahel et. Al. São Paulo, Ed. Martins Fontes, 1993.

Nenhum comentário:

Postar um comentário